Mão Humana

Os impactos ambientais são alterações realizadas pelo homem ao meio ambiente que afetam de forma direta ou indireta a saúde, o bem-estar da população, a segurança, as atividades sociais e econômicas, os recursos ambientais, dentre outros aspectos. Esse impacto pode ser de duas formas: positivo ou negativo.

O impacto negativo é representado pelos desequilíbrios que os seres humanos provocaram na natureza. Eles são os mais populares por gerarem maior repercussão quando acontecem. Exemplo de impactos ambientais são a construção de empreendimentos portuários e suas operações (poluição do ar, da água, agressão aos ecossistemas, etc.), bem como a navegação (vazamento de óleo nas águas dos rios).

A legislação brasileira, especificamente, através da Política Nacional do Meio Ambiente, sugere dois métodos para medir os impactos ambientais, o primeiro é o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e o Relatório de Impacto ao Meio Ambiente (RIMA). Eles são realizados quando há projetos para:

  1. Construção de rodovias, ferrovias, portos, terminais (minério, petróleo e produtos químicos) e aeroportos;
  2. Instalação de oleodutos, minerodutos, gasodutos, troncos coletores e emissários de esgoto;
  3. Instalação de linhas de transmissão de energia elétrica (superior a 230kV);
  4. Obras hidráulicas para exploração de recursos hídricos;
  5. Extração de petróleo, gás natural e outros combustíveis fósseis;
  6. Extração de minério, especialmente dos de classe II, previsto no Código de Mineração;
  7. Aterros sanitários;
  8. Instalação de usinas hidroelétricas (acima de 10MW);
  9. Complexo de unidade industriais e agroindustriais;
  10. Distritos industriais e zonas estritamente industriais;
  11. Projetos urbanísticos;
  12. Exploração econômica de madeira ou lenha (acima de 100 hectares ou menores - quando forem áreas importantes do ponto de vista ambiental);
  13. Qualquer atividade que utilize carvão vegetal (quantidade superior a 10 toneladas por dia).

Impactos Ambientais na Floresta Amazônica

São muitos os que afirmam a riqueza desse bioma. Por isso, são retirados da Amazônia quantidades expressivas de uma série de materiais, alimentos, recursos e produtos naturais. Sem o correto manejo de algumas matérias primas corre-se o risco de tornar estes recursos naturais cada vez mais escassos.

Os principais impactos são:

  • Aumento das erosões - elas começam a se intensificar e áreas que não eram alagadas, passam a ser;
  • Aumento do Efeito Estufa - como a floresta é um grande estoque de CO², com o desmatamento elas liberam quantidades expressivas do gás para a atmosfera agravando assim o efeito estufa;
  • Captura ilegal de animais e plantas, prejudicando a biodiversidade;
  • Construção de rodovias;
  • Criação de gado;
  • Derrubada e queima de árvores;
  • Mudanças Climáticas;
  • Pesca Predatória;
  • Plantio e o uso de agrotóxicos - os solos se tornar cada vez mais pobres em nutrientes;
  • Poluição dos Rios;
  • Queimadas para a prática de agricultura;
  • Incêndios Florestais;
  • Uso indevido do solo - contaminados com substâncias provenientes da mineração, etc.

Alguns Impactos e suas Consequências

Desmatamento Ilegal

Na chegada dos europeus, apenas 1% da área estava desmatada, a partir de 1970 a Floresta Amazônica sofreu com diversas infrações que prejudicaram o ecossistema existente. Apesar de empresas investirem em pesquisas, formularem leis para a preservação amazônica e criarem acordos internacionais percebe-se que a realidade da floresta é preocupante. Os problemas estão em todos os lugares.

Tráfico de Animais e Plantas

Milhares de espécies são ameaçadas com a poluição, a caça e pesca predatória. Entre os animais ameaçados de extinção estão o Gavião-real, um animal forte e considerado pelos indígenas a mãe dos pássaros e espírito da floresta. De acordo o Ministério do Meio Ambiente na Lista das Espécies da Fauna Brasileira Ameaçadas de Extinção, de 2014, existem 698 espécies. Já com relação à flora, 2.113 espécies correm o risco de desaparecer. Isso acontece não somente por causa da captura desenfreada de animais, mas pela destruição de seu habitat natural, a poluição, o desmatamento no Brasil, dentre outros fatores.

Biopirataria

Outro fator preocupante é a biopirataria que não é o contrabando somente de produtos da flora e da fauna amazônica, mas também o uso e domínio dos conhecimentos oferecidos pelas populações.

Espécies de plantas brasileiras que foram patenteadas por empresas internacionais são:

  • Açaí, registrado em 2003 no Japão e cancelado pela pressão das Ongs.
  • A Andiroba patenteada por empresas, no Japão, na França e também na União Europeia.
  • O Cupuaçu registrado no Japão pela empresa Asahi Foods e Body Shop, inglesa, dentre outros produtos.

Na biopirataria, os conhecimentos indígenas e os produtos são apropriados por multinacionais que querem ter ganhos sob estes povos.

Os biopiratas, geralmente identificados como turistas e pesquisadores, contrabandeiam recursos sem serem descobertos e logo em seguida se apropriam. A falta de fundos à pesquisa e de incentivos pelo Governo Brasileiro, trouxe pesquisadores de fora e o interesse internacional pela Amazônia. É preciso refletir sobre todos estes acontecimentos que rondam o bioma.

Construção de Usinas

A construção de usinas pode causar muitos estragos em um determinado rio, pois ela transforma o clima, espécies de peixes somem, animas se refugiam em outros locais, árvores e plantas apodrecem formando bolhas perigosas compostas por gás metano, causando o desequilíbrio no ecossistema daquele local.

Um caso popular, neste quesito, foi o projeto para a construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, no Rio Xingu (PA), que seria considerada a terceira maior do mundo em capacidade. Gerou polêmica por anos, sendo muito criticada por ambientalistas e representantes de movimentos sociais por vir a ser a causa de impactos como desmatamento, seca e alagamento. Em 2010, o Ibama concedeu uma licença prévia com 40 condicionantes socioeconômicas e ambientais para liberar a obra. Em 2016, a primeira turbina para teste foi acionada para observar e ajustar o seu funcionamento.

Impactos Positivos

Os impactos positivos estão relacionados aos programas e atividades em prol do meio ambiente. Dentre eles é possível citar a criação de unidades de conservação ambiental, o replantio de árvores, a recuperação das matas, a limpeza dos rios, etc. Esses impactos são essenciais para a recuperação da biodiversidade da Amazônia. A legislação brasileira prevê medidas que podem ser mitigadoras (realizadas no momento da ação que causará o impacto negativo) ou compensatórias (quando o meio já foi afetado). Um exemplo de programa de fiscalização criado pelo governo é o Carne Legal.

Carne Legal

Carne legal é um programa criado, em 2010, pelo Ministério Público Federal e outros órgãos de fiscalização, que trabalham contra a atividade pecuária ilegal que gera o desmatamento na Floresta Amazônica e a degradação social. Eles agem punindo fazendas e frigoríficos que desobedecem a legislação. Assim, supermercados também eram advertidos quanto ao uso de carne bovina sem comprovação. Eles também estariam contribuindo para os crimes ambientais. O objetivo do programa é garantir que não haverá mais áreas desmatadas e degradação social com a atividade pecuária, tornando a carne bovina de uso sustentável.

Com isso, o documentário "Virando o jogo" foi criado pelo Ministério Público Federal para mostrar que a pecuária pode ser feita de maneira correta e sustentável. Ele retrata toda a história do processo de colonização da Amazônia, a luta para interromper o desmatamento idealizada por Chico Mendes (líder sindical e seringueiro morto em 1988) e a defesa da Floresta pelo Ministério Público Federal e órgãos federais e estaduais ambientais e de monitoramento.